sexta-feira, 4 de abril de 2008

Feitiços concentrados

Dá uma idéia engraçada, né?

Primeiro eu pensei numa coisa que exigisse bastante concentração. Depois, eu pensei em groselha... é concentrada... 

Isso veio de uma entrevista com o pessoal da TV Espelho Mágico e de uma pergunta que me fizeram... do por que os feitiços dos ítalos podem ser tão concetrados, fortes? Na hora eu falei sobre o passar das coisas entre gerações.

Fiquei pensando nisso um pouco depois. Feitiços fortes. Feitiços que as pessoas têm medo. Macumba mesmo.

Quantas vezes eu não ouvi que as streghe não eram pra se mexer porque elas amaldiçoavam mesmo, sem dó. Que as filhas de Diana transformavam pessoas em sapos e coisas assim. 

Sabe, eu voltei para a mesma conclusão que eu tirei na hora que a Alana me perguntou sobre Aradia e seus feitiços concentrados. É tudo uma questão de tempo. Uma questão de egrégora inclusive. Afinal de contas, por tantos e tantos anos uma coisa é praticada, que ganha uma forma. Uma que pode ser acessada e usada. Coisa do chá, do limão, da bênção da aliança. Da bisa que ensinou pra avó que ensinou pra mãe que passa à neta... e as coisas se mantém.

Acho que o mais lindo de uma tradição assim, de cunho familiar é pela devoção à família, do saber que funciona pq vem sido feito assim há tantos anos. É crédito na praça. Sem medo. Líquido e certo.

Sim, ítalos têm pavor de mal olhado... sim, lançam mão de mts coisas para previni-lo e para curá-lo. E mts vezes, são coisas mt antigas... Vale a pena usar o concentrado... Concentramdo-se e sabendo o caminho.

Ave, Vesta!

2 comentários:

Inês Raven disse...

Mas quem transforma em sapo não é Diana não... é Latona! hehe

Pietra disse...

E segura! haha