segunda-feira, 11 de abril de 2011

Livros não-técnicos diretamente relacionados ao assunto

Hã?
É isso mesmo. Algumas vezes nos deparamos com livros que não tem as palavras "bruxaria", "paganismo", "deuses" e afins na capa, mas que são lições interessantes sobre todos esses assuntos. E nisso, eu tenho 2 para comentar.

Hoje encontrei na biblioteca da escola esse livro simpático aí do lado... como pessoa que já leu o Percy Jackson e ama Deuses Americanos, acho que eu encontrei um caminho no meio - além do fato de achar que Iris deve ser uma deusa muito legal - e mt linda!
Bom, Iris, messenger é um livro de 2007 escrito por Sarah Deming e conta a história de Iris, uma menina de 12 anos que ganha um livro Bulfinch's Mythology e por ele, começa a receber mensagens sobre os deuses e passa a encontrá-los entre os humanos - Poseidon tem um restaurante de frutos do mar numa cidade litorânea da Pensylvannia. Eu ainda não fui muito longe, mas eu acho que é daqueles que a gente lê em uma sentada, sabe? Parece bem legal e a leitura é bem fácil - estou lendo o original - e a trama levinha. O que é bacana é ver, mais uma vez, como os Deuses podem interagir com a gente, como a gente =)

Um outro achado lá da biblioteca da escola é Big Antony and the Magic Ring.  Ele é mais um da série da Strega Nona, escrito pelo Tomie dePaola. E são todos adoráveis e falam muito de folclore italiano e de como a strega trabalha com a comunidade, aprende com seus ancestrais e como nos, streghe, contamos com a magia =) Nesse livro, Strega Nona tem um anel mágico que a transforma numa mulher linda e com ele, ela sai e dança a noite toda na cidade. Assim, Big Antony, que não presta muito atenção nas coisas, pega o anel e vai para a cidade como um moço lindão! Agora, o que acontece quando usamos magia: escondido? Sem saber direito o que estamos fazendo? Então, aprenda com a Strega Nona e com Big Anthony!

Eu amo esses livros... pq nos mostram lições que já sabemos e lembramos... ou lições importantes... ou vivências que gostaríamos de ter... Ler livros ditos infantis ou infanto-juvenis é sempre uma delícia: desanuavia a mente e sempre tem uma coisa legal para lembrar, aprender, ensinar, apreciar...

Boas leituras!
Pietra

Um comentário:

Claudia disse...

Minha filha de 4 anos, Giulia, ama as histórias da Strega Nona... e eu me encho de orgulho!
Claudia