segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Cartas que pulam


Minha lunação foi pensativa, se é que dá para dizer isso. Eu estive com duas cartas de espadas no meu caminho, que me deixaram mais cautelosa sobre determinados aspectos. E muito preocupada a respeito de onde tantas espadas cairiam.


Estudei um tanto.


Recebi um bom conselho da Inês... que me valeu para pensar o meu andar sobre algumas questões que estavam drenando minha energia.


E, quase no fim da lunação, quando as coisas estavam prontas para ser balançadas, eu fiquei numa angustia tremenda de como algumas coisas se desenrolariam. Então, conversando com uma amiga, que não tem nada de bruxa, bruxaria ou tarot, mas que gosta das cartas, sobre acontecimentos do colégio e a coisa toda, o três de espadas pula do meio do baralho. Sabe quando vc está conversando, segurando o baralho, meio que conversando, meio que embaralhando?


Foi assim mesmo. E tudo que eu pensei foi: era isso??????


Quer dizer, todos os apertos e discussões e opiniões dadas, de verdade, na semana de planejamento foram o 3 de espadas... a tensão que se deu pelo bem de fazer as coisas acontecerem.


Foi uma experiência muito interessante. Essas confirmações são cheias de graça!

2 comentários:

Marcelo | zephyrus.blog.br disse...

Oi, Pietra

Eu tenho uma leitura do 3 de Espadas que foge um pouco do padrão comum.

Não sei o que houve na escola, mas, de modo geral, percebo situações em que somos levados a fazer algo que não gostaríamos de fazer, mas é o que precisa ser feito.

Quando você resume tudo como "tensão para o bem estar", acredito que você concorda comigo.

Por mais que desgaste ou "doa", é o certo a ser feito. Bom quando tudo se resolve com taças, mas às vezes a espada se faz necessária para que a ordem seja (re)estabelecida.

[]'s

Marcelo

Pietra disse...

Olá, Marcelo.

Concordo sim... e foi uma realmente uma coisa extremamente não ortodoxa que acabei fazendo, mas preciso dizer que não me arrependo um segundo e faria tudo de novo...