domingo, 8 de fevereiro de 2009

Palestra sobre Deusas da Terra

Dia 7 de fevereiro foi dia de Tarde Esotérica, com o tema Divino Feminino. E foi uma tarde muito interessante.

Falei um pouco sobre Deusas da Terra. E, fui pensando e me colocando de como me parece que, com o passar do tempo e com o refinamento do pensamento de um povo, suas deidades também ganham esse refinamento e sofisticação. E que, para os gregos, isso começa com Gaia, a terra que nos sustenta e vai até Perséfone, o trigo de Deméter. Entre as duas, se faz os Mistérios de Elêusis, e com elas vive o segredo da vida e da morte.

O que é muito bonito é que isso tudo acontece com as deusas, sim, mas sem os Deuses, como Zeus, Hades e Poseidon, esses movimentos não se dão.

O que eu quero dizer é que, sim, as Deusas carregam a essência da Terra e da vida, e do sustento. Mas que sem a passagem dos Deuses, do masculino, não fertilizamos e os ciclos não se passam.

Por fim, nessa tarde de Deusas, ajudamos uma amiga a pensar seu feminino e como isso é importante de ser pensado, pois o feminino não é igual para todas as mulheres, nem para todas as pessoas. Leto é um feminino... Deméter, outro. Afrodite, mais um... Athena, ainda outro. E assim somos, pessoas diferentes, como as folhas das plantas tantas sobre o corpo de Gaia.

11 comentários:

([salix sam]) disse...

Essa foi uma reflexão muito válida, pois a gente acaba dando um enfoque na Deusa (por sermos mulheres)...e as vezes esquecemos que sem o Deus não há fertilização da semente.

Também, como você falou, no refinamento do conceito da divindade(de Gaia até Perséfone), parece um desdobramento de várias gerações de deusas...a tatara...a bisa...a vó...a mãe...a filha...a neta...bisneta...e assim vai. Um legado que é herdado, do sagrado feminino...que chega até nós nos dias de hoje, mesmo aos trancos...e assim podemos reavivar o fogo sagrado para deixá-lo de herança para as gerações que estão vindo.

Beijos pra ti Pietra!^^
Abençoada esteja^^
)O(

Pietra disse...

É exatamente esse meu ponto, Sam... pq eu acredito nesse crescimento pelas gerações. Mês que vem, vou fazer uma palestra na mesma linha sobre os deuses do Sol.

Como eu sou politeísta, acho que eu não poderia deixar de, primeiro de tudo, dizer que sou politeísta e que vejo isso mesmo como uma parte herdada de cada deidade, e não como faces de uma deusa só; e depois, que o panteão é uma rede... de deidades femininas e masculinas... Simples assim... eu acho hehe

Obrigada pela visita e pelas suas boas palavras. Seja sempre bem vinda!

Luciana Onofre disse...

É assim que entendo o Sagrado em cada um de nós.
Sem o sangue que muitas cultuam em si como a vida não haveria vida, mas sem o sêmem? Haveria vida?
Creio que o masculino e o feminino devem andar juntos, o sacro de cada um é imprescindível para entender nosso sagrado...
Obrigada pelo lindo texto:)

Fada Bruxa disse...

Quando conhecí a Religião da Deusa a mainha maior dificuldade era consiliar a visão do feminino no meu mundo ainda tão masculinizado pelo patriarcado. Não conseguia conceber uma Deusa no lugar de um Deus, mas com o tempo percebi que não preciso substituir nada mas entender e aceitar as duas partes, porque são iguais.

beijocas de luz

Inês disse...

Eu não cultuo uma única deusa e um único deus. E acho que isso me ajudou a entender mais claramente o papel de cada divindade, seja ela masculina ou feminina.

Quanto as deusas da terra, eu consigo perceber bem a necessidade da interação com os deuses. Cada uma é um mundo, e no geral elas se viram bem sozinhas, mas tem um momento em que a interferência de um dos deuses vai mudar o mito delas. Ou elas mudam todos os outros mitos, como quando Gaia e Rhea ajudaram seus filhos tomar o lugar dos seus pais.

Pietra disse...

Sim, Fada Bruxa... É como as coisas na Natureza. tudo importa. E, como filha de uma deidade masculina, eu vejo isso tudo com tranqüilidade. E como a Inês, eu acho que essas interferencias, intervençoes entre deidades que faz as engrenagens da natureza funcionam.

Adriana Carvalho disse...

Indico teu blog ao Prêmio Dardos, te convido a passar no Art'Voadeira e colher o selo e repassá-lo a blogs que incentivem a cultura na net.

O que é o Prêmio Dardos?

"Com o Prêmio Dardos reconhecem-se os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos,literários, pessoais, etc. que, em suma, demonstram a sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre as suas letras, entre as suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.”

Bjim
Adriana

http://dricasonhadora.blogspot.com/

Pietra disse...

Poxa, Adriana. Obrigada!

Pietra disse...

Poxa, Adriana. Obrigada!

Madalena disse...

Adorei, tanto a palestra como o papo depois... :) e esses pensamentos a respeito da evolução conceitual dos deuses confirma, a meu ver, uma das coisas mais bonitas dos mitos e da religião: o fato de serem um espelho para a evolução espiritual da própria humanidade. Quando falamos dos deuses, estamos falando, direta ou indiretamente, de nós mesmos.

Obrigada pelo oferecimento de mãos, caminhos e oportunidades de pensamento conjunto! E a caminhada apenas começa... ;)

Beijos!
Ju

PS - O blog está maravilhoso!

Pietra disse...

Obrigada por tudo, tb, Jú... essa sua energia me fascina!

Bjos

Pietra