quarta-feira, 30 de março de 2011

Uns pensamentos meus...

e meus, Pietra... talvez, não reflitam o que a Sarah pense...

Esses dias eu venho visto um movimento para lá e para cá que me lembrou muito, muito mesmo os velhos tempos de Orkut quando o povo ficava brigando e respondendo milhares de vezes em comunidades sobre o que acreditavam, pensavam, gostavam, etc... E o clima ficava chato e ninguém mais, ou melhor, eu não tinha mais pique de ficar na comunidade - valendo o mesmo para listas do Yahoo! e afins... Aliás, talvez as coisas tenham saído do escopo das pessoas e perdido popularidade exatamente por conta disso.

Eu penso que os blogs chegaram exatamente para dar uma amainada nesse tipo de coisa... pq? Pq se vc não curte as ideias de quem escreve o blog, vc não o segue. Como quem não curte uma revista, não a compra, ou quem não gosta de um programa, não o assiste. Na minha honesta opinião, simples assim.

O que eu acredito e pratico é que um blog e quem o escreve tem o direito a livre-pensar... E que deve expressar-se. Bom senso e educação são notas, para mim, professora, fundamentais nessa comunicaçao entre blogueiro e leitor.

E quando escrevemos,  claro que nos apoiamos em autores, em teóricos, em artistas, em conceitos, em estudos ou mesmo, em associações e instituições de diversas naturezas e assim tem de ser, afinal de contas, é muito importante conhecer profundamente o que fazemos e como a nossa espiritualidade se desenvolveu ao longo do tempo, entre a humanidade. Porém, não somos, em tese, discípulos dos teóricos... somos praticantes de uma espiritualidade. E a espiritualidade responsável também zela pelo bem estar da comunidade. Isso não significa enterrar os problemas, mas pode significar não se envolver com o que não é da nossa alçada.

Aprendi ao longo do tempo que existe no mundo espaço para tudo. Para o que é lindo e para o que é feio. Para o que consideramos adequado e para o que não suportamos. O mundo é muito diverso e abraça muitas coisas. Coisas que co-existem. Gostemos ou não. Todos têm espaço.

Espiritualidade responsável também bate no tanger de zelar pela lei, pela estética, e pela ética, que como disse uma vez o educador Julio Groppa Aquino, ética deve ser pisciana, ou seja, bem valer pela convivência; e não virginiana, metódica e organizada. Espiritualidade responsável não precisa ser pragmática, mas leve e clara... Definida para quem a pratica.

A terra do vizinho está pobre? A colheita não está farta?
Como vc pode ajudar? E, principalmente, vc pode ajudar?
Se sim, arregace as mangas! Se não, mantenha a sua terra saudável e não entre no caminho do vizinho, afinal, muito ajuda quem não atrapalha, certo?

O blog Stregheria Prática se ocupa de falar de Bruxaria Italiana nos caminhos das streghe que o escrevem: Sarah Filhote de Lua e Pietra... assim, vamos pela nossa verdade, nossos estudos, nossas percepções. Conversamos, conhecemos, aprendemos, compartilhamos. E seguimos nosso caminho. Queiram os Deuses, com Eirene... em paz!

Canja de galinha, prudência e dinheiro no bolso não fazem mal a ninguém!
Pietra

3 comentários:

Filhote de Lua disse...

Amada,assino embaixo em tudo que vc disse. POde considerar que é uma opinião das duas streghe do blog.

Luciana Onofre disse...

comparto este modo de ver e compreender as coisas... já se foram os tempos em que algo assim podia ser deixado livre para ser...

os blogs devem produzir mais do que falas de rixas...

e há mesmo sob o Sol espaço para quem deseja produzir e somar

=*

Striglae. disse...

amoo demais o blog acho um doce , adoro passar por aqui , escutar um pouco sabedoria alias ler né gente ;

Pietra , é vero , acho que uma das coisas que levo na minha vida é : antes de eu querer curar , eu tenho que ta currado , antes de tudo , antes de abrir minha boca e disser sou bruxo , enfim , eu tenho que de fato ser , tá quero ajudar , uma das melhores formas as vezes é ficar calado e as vezes agir , sensibilidade não mata ninguem , pra saber a ora de ir e agir , a ora de ficar quieto.

strigle.