sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Reportagem Reuters UK: Novo interesse sobre as raízes pagãs da Itália começa a desabrochar

Eu peguei essa reportagem numa lista americana de Stregheria e achei interessante o olhar que teóricos e praticantes de stregoneria estão começando a ter na Itália.

O original está em http://uk.reuters.com/article/lifestyleMolt/idUKTRE49N45220081024?sp=true

Reportagem de Barbara Cornell, traduzido por Pietra.

(Milão)
Milão deixa de lado sua herança do papado para celebrar nesse fim de semana o Samhain, popularmente conhecido como Ano Novo Celta, um festival que tem seu destaque na Itália pelo interesse que está surgindo em suas raízes pagãs.

O castelo da cidade de Sforzesco vai ter um festival com artes como tear, cunha de moedas e a feitura de cotas de malha, além de música que voltam a antiguidade da Escócia, Itália e Espanha. Mais de 100 mil visitantes são esperados para ver os guerreiros celtas entrarem em batalha.

O foco é apenas a herança cultura, nada de reliogioso, diz a organizadora do evento Emanuela Magni.

"Ensina ainda sobre a passagem do tempo e que existem conceitos universais que perduram até hoje", diz Magni notando que a sagrada celebração celta do Sanhaim é a predecessora do Dia de Todos os Santos e o Dia de Finados.

Mas enquanto a Itália descobre suas antigas raízes pré-cristãs, isso também é um despertar das práticas pagãs.

"Definitivamente, tem algo crescendo, de uma forma silenciosa, mas determinada e parece ser um movimento", escreveu a estudiosa de assuntos religiosos norte-americana Francesca Howell, em um artigo publicado em um jornal de estudos pagãos internacionais, o Pomegranate.

A Itália tem raízes profundas na Bruxaria, ou Stregoneria, Howell disse em sua entrevista. Mas este movimento pagão recente ecoa de décadas anteriores do mesmo movimento das Ilhas Britânicas e na América. Os pagãos italianos estão se colocando junto aos movimentos feministas e ambientalistas.

"Realmente, é um gosto diferente, até um caldeirão com muitas misturas", diz Howell.

Melwyn, uma secretária milanesa de 23 anos, que adotou esse nome celta é uma das pessoas que se encaixa nessa demografia.

Uma dessas pessoas que revive esse cenário celta, ela começou a ler sobre Wicca quando adolescente e descobriu as tradições de comemoração do Sainhaim há quatro anos atrás.

"Muitas pessoas estão perto da Wicca, mesmo sem saber, pois estão dentro desses movimentos das feiras antigas", ela diz. "Você acredita, mas não se dá conta".

Os números são alusões, mas usndo fontes como blogs, mailing lists e correspondências, os organizadores do envento imaginam que o evento seja frequentado por cerca de 2 a 10 mil pessoas.

O fundador do Circle of the Crossroads de Milão, Davide Marre, lembra que no começo havia apenas quatro gatos pingados.

Depois de 6 anos, são 200 participantes em conferências, palestras, grupos de estudos, livros e revistas publicadas com frequência e um encontro mensal chamado Witche's Café.

Dado o passado da Itália, marre diz que não se surpreende com o esse reviver das tradições, "A Itália é a terra dos deuses", ele diz.

2 comentários:

Pietra disse...

A Itália é a terra dos deuses... amei esse fim.

Eu realmente vinha vendo esse movimento acontecendo na Itália, o que, de certa forma, até se entende, pq houveram celtas por lá. Imagino quando eles vão conseguir olhar mais fundo nas coisas... e ver que antes dos romanos serem cristãos, eles erão pagãos e que tinham todas as suas tradições e mexeres com seus deuses.

Eu fico feliz tb que os teóricos e estudiosos agora não tem medo de dizer que são pagãos e se interessam por estudar isso tudo. Com paixão, mas sem interferências.

Novos tempos, eu espero!

Green Womyn disse...

Pi, eu considero uma bênção nós podermos participar dessas listas em inglês. Bênção maior ainda é haver pessoas que se dispõem a ultrapassar as barreiras lingüísticas e ajudar as outras a entenderem o que se passa em outros lugares!